Home

Óleo de Polpa de Abacate
No tratamento de rugas e estrias.
Normalizador do açúcar no sangue

 

Potencial fonte de beta-sitosterol para o tratamento de problemas da próstata, cardíacos e imunológicos. O abacate é uma fruta tropical muito rica em nutrientes e da qual vem sendo extraído na Nova Zelândia por um processo de prensagem a frio, um azeite extremamente medicinal.

No Brasil, recentemente conseguimos obter óleo de abacate extraído no interior de Minas Gerais através de um processo artesanal usando o calor do sol. A vantagem deste método é que o óleo mantém todas as suas propriedades e dá origem a um óleo com particulares iguais ao produzido na Nova Zelândia.

É muito triste ver que num país tão rico como o Brasil as pessoas não aproveitam seus recursos. O abacate é um exemplo disto. Toneladas jogadas fora todo ano poderiam estar sendo aproveitadas como alimento e para extração deste azeite medicinal eficaz na prevenção e tratamento de uma série de doenças como a hiperplasia prostática, câncer e distúrbios de colesterol. Além disso, o óleo de abacate encontra especial uso dentro da cosmética para tratamento de pele, porém mais de 90% de todo o óleo comercializado no mercado não é verdadeiro, costuma ser montado a partir da separação com o uso de solventes de gorduras presentes na soja. O verdadeiro óleo não é transparente e inodoro como o que é vendido no mercado, ele possui uma coloração verde muito escura, um aroma característico forte e um sabor intenso e exótico. Sua acidez é inferior a 1%.

O óleo de abacate possui em sua composição várias substâncias medicinais. Entre as mais ativas temos lecitinas, fitoesteróis (beta-sitosterol especialmente), gorduras monoinsaturadas, vitamina A e um alto teor de vitamina E, quase o dobro do óleo de semente de uvas. Pesquisas do UCLA, Centro de Nutrição Humana da Califórnia, indicaram que os abacates possuem o teor mais alto de vitamina E quando comparados ao kiwi, nectarinas, uvas e pêssegos. A vitamina E é conhecida por ser um poderoso anti-oxidante que age inibindo a formação de radicais livres, ajudando assim a diminuir os sinais do envelhecimento.

Em cosméticos, o óleo de abacate é usado puro ou diluído (2-6%) com o objetivo de ajudar no tratamento de rugas e estrias. Ele faz isso estimulando o metabolismo do colágeno, aumentando assim a quantidade de colágeno solúvel na derme, o que retarda a formação de marcas na pele (rugas e estrias), contribuindo desta forma para o tônus e vitalidade da pele. O beta-sitosterol presente no óleo confere-lhe propriedades bactericidas, anti-virais, fungicidas e anti-inflamatórias. Entre 8 óleos testados (gergelim, amêndoas, jojoba, côco, oliva, etc), o abacate foi o que apresentou maior efeito de absorção dos raios ultra-violeta (UV) do sol, agindo assim como potente filtro solar para cosméticos. Devido a todas estas propriedades, o óleo de abacate é muito usado no tratamento de vários problemas de pele como dermatites, inflamações, queimaduras, acne e no pós-cirúrgico para acelerar a cicatrização, prevenindo a formação de marcas e quelóides.

A maioria das propriedades do óleo de abacate se devem à presença em alta concentração de beta-sitosterol, um fitoesterol de estrutura química muito similar à do colesterol e encontrado no arroz, na soja, no germe de trigo, e no milho. Sua concentração é 25.5 vezes mais alta no abacate quando comparado com a da laranja.

O beta-sitosterol sozinho ou em combinação com outros esteróis de plantas tem demonstrado em estudos clínicos um efeito de reduzir os níveis de colesterol no sangue.

Ele age neste sentido de três formas.

Primeiramente quando usado junto com a comida (1 colher de café do óleo) ele se associa às gorduras e age bloqueando a absorção do colesterol pelo corpo (somente 5-10% de b-sitosterol agregado é absorvido). Este efeito pode ajudar também em regimes de perda de peso e especialmente na prevenção de doenças cardiovasculares.
Segundo, ele age diretamente no fígado equilibrando os níveis de HDL/LDL no sangue e, terceiro, quando conjugado a lecitinas presentes no óleo de abacate, ele agrega-se à gordura ruim no sangue facilitando sua eliminação do corpo pelas vias urinárias e desobstruindo vasos. Um estudo feito por pesquisadores do Instituto Mexicano de Seguro Social, publicado em arquivos de pesquisa médica no inverno de 1996, mostravam que quem come abacate todos os dias por uma semana experiencia uma queda de 17% do colesterol total do sangue.
Diferente do que muitos pensam, a gordura presente no abacate não faz mal à saúde.  Observou-se que os níveis de LDL (mau colesterol) diminuem, enquanto os de HDL (bom colesterol) sobem equilibrando-se.
B-Sitosterol é o Mais Efetivo Remédio Conhecido
Para os Problemas de Próstata

Beta-sitosterol é o princípio ativo milagroso existente no óleo de abóbora, Saw palmeto, Pygeum africanum e outros remédios naturais para a próstata. Vários jornais científicos internacionais (International Journal of Immunopharmacol, 1996; The Lancet, 1995; European Journal of Drug Metab., 1997; Anticancer Research, 1996; European Patent EP 287,000, Minerva Urologia, 1985; British Journal of Clinical Pharmacology, 1984; Medizinische Klinik, 1982; European Urology, 1992 and 1994, and Fortsher. Med., 1980), têm publicado estudos científicos que provam que o b-sitosterol é o mais efetivo remédio conhecido para os problemas de próstata. Ele age reduzindo a dilatação da próstata (hiperplasia prostática), prevenindo e ajudando no tratamento do câncer de próstata. Faz isso através de uma ação específica sobre o fígado, inibindo uma enzima 5-alpha reductase que age reduzindo a testosterona a dihidrotestosterona (DHT). Esta queda da testosterona e sua conversão a DHT ocasiona uma série de problemas. A ligação do DHT a receptores androgênicos na próstata tende a ocasionar dilatação da próstata, queda de cabelo, problemas vasculares e possibilidade de impotência. Ele também age positivamente na mulher causando um efeito anti-estrogênico, diminuindo a ligação do DHT a receptores de estrógenos. Isso previne os efeitos indesejados dos níveis altos de estrógenos no corpo como o desenvolvimento de ginecomastia, retenção de líquidos e aumento do peso, especialmente nas fases da TPM.

O b-sitosterol presente no abacate também possui um efeito especial sobre a imunidade, e é assim que acaba auxiliando no tratamento de doenças como o câncer, HIV e infecções. Notou-se que ele age aumentando a proliferação de linfócitos no corpo e a atividade das células NK ("natural killers") que agem matando microorganismos invasores. Na parte de câncer, ele age suprimindo a carcinogênese e no HIV fortalecendo o sistema imunológico.

O abacate também possui um carotenóide chamado luteína que ajuda a proteger o organismo contra o câncer de próstata e doenças dos olhos como catarata e degeneração da mácula. Uma substância chamada d-perseitol presente no abacate age como diurético.

Em dezembro de 2000, pesquisadores japoneses relataram em um congresso organizado pela Sociedade Americana de Química, que o abacate pode ser uma das novas drogas para tratar doenças do fígado. Apesar da pesquisa ainda estar em estágio inicial o abacate mostrou uma forte influência no tratamento de uma poderosa toxina para o fígado chamada galactosamina.

O b-sitosterol também tem demonstrado efeito normalizador do açúcar no sangue e nos níveis de insulina no diabetes tipo I e II. Ele reduz os níveis de glicose no sangue por uma ação inibitória-reguladora da enzima glucose-6-phosphatase, que age elevando os níveis de açúcar no sangue. 

O óleo de abacate deve ser usado internamente puro, ou na comida como azeite, nas dosagens de 12-20ml por dia (1-3 colheres de café).

 

 
Ágape Sistemas© 1999-2009. Soluções em Internet e Software Livre.